Vamos falar de infertilidade masculina?

Infertilidade Masculina tem tratamento

Por muito tempo a ideia de dificuldade para o casal engravidar se baseou em problemas associados à mulher. Talvez você até tenha uma história na família sobre isso, não é? Pois é, eu conversei com o urologista especialista em saúde masculina e fertilidade Guilherme Leme, que explicou algumas coisas sobre esse problema – muito comum entre eles. Vou dividir com vocês logo baixo.

Para Tudo: O homem pode se tornar infértil ou nasce com essa predisposição?
Guilherme Leme: As duas situações podem existir: em alguns casos, o homem pode apresentar alguma característica genética que dificulte ou impeça a formação adequada dos espermatozoides, como acontece na maioria dos casos de azoospermia (ausência de espermatozoides no líquido ejaculado). Em outros, algum dano ao longo da vida que tenha levado à piora no potencial fértil, como ocorre nos casos de varicocele (varizes nos testículos) ou nos casos de uso de substâncias (como os quimioterápicos e os anabolizantes, por exemplo), que através de diferentes mecanismos, leva ao comprometimento da função dos testículos.
Nos casos em que o homem se torna subfértil ao longo da vida, encontramos com mais frequência alguns tipos de alteração no espermograma, como a oligozoospermia (diminuição do número de espermatozoides), a astenzoospermia (piora da capacidade de movimentação dos espermatozoides) ou a teratozoospermia (problemas no formato dos espermatozoides). A única maneira confiável de se determinar a real situação do paciente é a avaliação médica personalizada, com exame físico e uso de exames complementares.

Para Tudo: Com o passar dos anos, aumentam as chances de infertilidade masculina?
Guilherme: A fertilidade masculina não é afetada de forma determinante como no caso das mulheres. Para o homem, o status de sua saúde vale mais que a idade propriamente dita. Portanto, os mais maduros podem, sim, ter a fertilidade preservada por meio de bons hábitos alimentares, cuidados médicos e atividade física regular.

Para Tudo: O que determina se o homem é infértil?
Guilherme: Temos muitos recursos para identificar o problema. Consultas, resultados de dados clínicos, exame físico, de sangue e complementares, ultrassonografias e espermograma. Entre os complementares, vale destacar, o último deles é extremamente importante e precisa ser realizado mais de uma vez – já que oscilações naturais podem ocorrer e gerar confusão na interpretação. A análise deve ser bastante cuidadosa para evitar conclusões precipitadas. No fundo, só somos capazes de atestar a fertilidade masculina através de avaliação completa e individualizada. Não existe uma receita que sirva para todos os pacientes.

Para Tudo: Homens que trabalham muito tempo sentados, como os motoristas, estão no grupo de risco para inflamação na próstata e casos relacionados a infertilidade?
Guilherme Leme: A atividade não é considerada, isoladamente, um fator de risco para infertilidade. Tão pouco um fator causal para a infertilidade, mas pode ser considerada um eventual fator associado. É preciso investigar se há alguma predisponência desse homem quanto a posição e a exposição laboral a temperaturas elevadas, que podem facilitar a ocorrência de inflamações prostáticas e até contribuir negativamente na qualidade seminal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>